D. H. Lawrence - A indecência pode ser saudável


Incrível como ainda hoje se discute o conceito de imoralidade na arte, mesmo com as ações políticas no noticiário nacional roubando boa parte da nossa atenção (assim como muitas outras coisas também, por sinal). No entanto, o limite entre pornografia e erotismo na literatura, se é que tal limite existe, tende a ser muito sutil. Nesses casos, acredito sempre em Oscar Wilde (1854-1900), um verdadeiro especialista neste assunto, quando ele afirmava que "Não existem livros morais ou imorais. Livros são coisas bem escritas ou mal escritas. E só".

D. H. Lawrence (1885-1930) sempre foi um autor perseguido pela censura. Seu romance mais famoso, "O amante de Lady Chatterley", foi proibido na Inglaterra e Estados Unidos sob a acusação de obsceno. O lindo poema abaixo, em versão bilíngue, é uma expressão perfeita da oposição instinto X consciência (inteligência) e faz parte da coletânea "Poesia Erótica em Tradução", lançada em 1990 pela Editora Companhia das Letras e reeditada em Coleção de Bolso, tradução de José Paulo Paes, um clássico que ainda hoje vale muito a pena conhecer ou reler.

Bawdy can be sane
(D.H. Lawrence - 1885-1930)

Bawdy can be sane and wholesome,
in fact a little bawdy is necessary in every life
to keep it sane and wholesome.

And a little whoring can be sane and wholesome.
In fact a little whoring is necessary in every life
to keep it sane and wholesome.

Even sodomy can be sane and wholesome
granted there is an exchange of genuine feeling.

But get any of them on the brain, and they become pernicious:
bawdy on the brain becomes obscenity, vicious.
Whoring on the brain becomes really syphilitic
and sodomy on the brain becomes a mission,
all the lot of them, vice, missions, etc., insanely unhealthy.

In the same way, chastity in its hour is sweet and wholesome.
But chastity on the brain is a vice, a perversion.
And rigid suppression of all bawdy, whoring or other such commerce
is a straight way to raving insanity.
The fifth generation of puritans, when it isn't obscenely profligate,
is idiot. so you've got to choose.

A indecência pode ser saudável
(D.H. Lawrence - 1885-1930)

A indecência pode ser normal, saudável;
na verdade, um pouco de indecência é necessário em toda vida
para a manter normal, saudável.

E um pouco de putaria pode ser normal, saudável.
Na verdade, um pouco de putaria é necessário em toda vida
para a manter normal, saudável.

Mesmo a sodomia pode ser normal, saudável,
desde que haja troca de sentimento verdadeiro.

Mas se alguma delas for para o cérebro, aí se torna perniciosa:
a indecência no cérebro se torna obscena, viciosa,
a putaria no cérebro se torna sifilítica
e a sodomia no cérebro se torna uma missão,
tudo, vício, missão, insanamente mórbido.

Do mesmo modo, a castidade na hora própria é normal e bonita.
Mas a castidade no cérebro é vício, perversão.
E a rígida supressão de toda e qualquer indecência, putaria e relações assim
leva direto a furiosa insanidade.
E a quinta geração de puritanos, se não for obscenamente depravada,
é idiota. Por isso, você tem de escolher.
2 comentários
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

As 20 obras mais importantes da literatura argentina

As 20 melhores distopias da literatura

My Question for Myself

As 20 melhores utopias da literatura

Objeto de Desejo

O Idiota - Fiódor Dostoiévski